Petrobras e Lei Rouanet bancaram campanha ilegal de Lula para eleger Boulos. Eles estão de volta

Escândalo envolve ainda órgãos do govefno federal utilizados pata benefício próprio pelo presidente da República

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu ilegalmente votos para o pré-candidato à Prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos (Psol).

O crime eleitoral ocorreu durante evento em comemoração ao Dia do Trabalho, realizado nesta 4ª feira, dia 1º de maio de 2024, em São Paulo.

O ato criminoso contou com dinheiro da Petrobras, empresa estatal com ações listadas na bolsa de valores, o que configura crime eleitoral.

A Lei Rouanet também participou da invasão dos cofres públicos pela campanha antecipada do sem teto.

Desrespeitando a lei, Lula disse para algumas pessoas em um evento desprestigiado pela propria esquerda que não compareceu, que quem votou nele “tem que votar no Boulos”.

O último desvio de dinheiro na Petrobras também foi em governo do PT. Atualmente quem condenou Lula passa aperto. O então juiz Sérgio Moro, primeiro a dar uma condenação para Lula responde processos que podem tirar seu mandato. O ex-procurador da Lava Jato Deltan Dallagnhol perdeu o mandato de deputado federal.

A operação Lava Jato completou 10 anos no dia 17 de março de 2024. Tudo começou neste dia em 2014 com uma operação da Polícia Federal em conjunto com procuradores para a gigantesca corrupção na Petrobras que foi revelada e punida, mas que sofreu revés no STF que beneficiou a todos os criminosos qie hoje estão soltos.

Lula da Silva foi condenado por várias instâncias da Justiça, passou 580 dias preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba (PR). Por obra do Supremo Tribunal Federal, suas condenações e processos foram anulados e ele ficou livre e foi eleito presidente da República e usa novamente a Petrobras em seu benefício próprio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *